Bichinhos benéficos na Vermicompostagem (Morada da Floresta)

Nem todos os bichinhos que aparecem em sua vermicomposteira são do mal!

Muitos ajudam no processo biológico da compostagem e são benéficos, mas trazem medo e dúvidas quando aparecem no minhocário. Para facilitar na identificação desses seres do bem, relacionamos nessa postagem os principais bichinhos benéficos, além das minhocas, que podem aparecer no seu minhocário.

Todos que apresentaremos a seguir são benéficos para a compostagem e contribuem tanto com a decomposição da matéria vegetal como também para manter o equilíbrio do sistema. A natureza é perfeita! Se você encontrar esses bichinhos no seu minhocário, não precisa se preocupar, está tudo certo!

1- Ácaros Oribatídeos

Ácaros Oribatídeos na Vermicompostagem

Pequenos amontoados de “bolinhas” cor de ferrugem é como costumam descrever, mas também podem ter coloração clara. Existem mais de 10.000 espécies de ácaros oribatídeos, apenas no Brasil são conhecidas mais de 500 espécies! Seus tamanhos podem variar de 0,1 à 1,5mm e, assim como as minhocas, se alimentam de fungos e material vegetal em decomposição. Promovem a fragmentação da matéria orgânica, aumentando a área superficial das partículas e ampliando a ação das bactérias e fungos decompositores, acelerando a decomposição e a compostagem.

Espécies maiores se alimentam de partes vegetais em decomposição, espécies menores geralmente se alimentam da microflora (fungos, algas, bactérias e outros microorganismos).

Sua população pode crescer a ponto de cobrir parte significativa da tampa e paredes internas da composteira e em alguns casos chegam a sair da Humi pelos furos laterais da caixa digestora.Se isso acontecer, não precisa se preocupar! Você pode varrer e devolver os ácaros para o minhocário ou jogar no jardim. Eles não se alimentam de plantas vivas. De qualquer forma, esses ácaros em muita quantidade pode significar muita umidade ou acidez. Para equilibrar a umidade, coloque mais matéria seca e abra a torneira com mais frequência. Para equilibrar a acidez você pode colocar um pouco de cinza de madeira.

2- Besouros e Joaninhas (Coleoptera)

Besouros e Joaninhas (Coleoptera) na Vermicompostagem

Os coleópteros (Coleoptera) compõem uma ordem muito diversa de insetos, entre os quais os mais populares são os besouros e as joaninhas. Normalmente os besouros que aparecem no minhocário são pequenos, parecem mais com uma joaninha preta que com os besouros maiores. Os que habitam o minhocário normalmente medem aproximadamente 5mm de comprimento quando adultos. Seus corpos são arredondados, possuem cabeça pequena, antenas curtas, 6 patas e asas membranosas bem desenvolvidas, mas protegidas por uma carapaça. Com relação à alimentação, alguns se alimentam de plantas, outros decompõem a matéria orgânica e outros são predadores, e se alimentam de ácaros, cochonilhas, drosófilas, pulgões e outros tipos de invertebrados.

3- Colêmbolos (Collembola)

Bichinhos beneficos - colembolos

 

Pequenos e muito comuns em locais com muita umidade e matéria orgânica, muitas vezes podem ser observados em composteiras, apesar de sua identificação ser dificultada pelo seu tamanho (menor que 1cm). Sua coloração é variada, mas normalmente são escuros ou esbranquiçados, seu corpo é recoberto por escamas e possuem 6 pernas. Mesmo em populações maiores não atrapalham a compostagem ou os vasos onde colocamos o húmus e podem fazer parte da população de auxiliares para as minhocas. Eles também são facilmente encontrados em vasos e na terra do jardim.

4- Piolho-de-cobra, embuá ou gongolo (Diplópodes)

Bichinhos_Diplópodes_02_(recortada)

 

Apesar do nome e do tamanho que podem assustar são um grande aliado da compostagem e não fazem mal algum aos seres humanos. Muitas pessoas confundem os diplópodes com centopéias, mas são a mesma espécie. As centopeias não devem ser manuseadas com as mão e diferente dos diplópodes são majoritariamente carnívoros. Popularmente conhecidos como piolho-de-cobra, embuá ou gongolo, os diplópodes vivem em ambientes úmidos, com pouca luminosidade e com material orgânico disponível para a alimentação. A composteira doméstica é um ambiente perfeito para eles! Alimentam-se de matéria orgânica em decomposição e alguns pequenos invertebrados e fungos.  Suas fezes possuem um alto teor nutritivo para as plantas e solo, e são bem maiores que o húmus de minhoca! A maioria dos diplópodes possuem corpos cilíndricos muito alongados, normalmente com mais de 20 segmentos, e cada segmento possui dois pares de pernas.  Seu corpo formado por um esqueleto reforçado por cálcio e carbono e geralmente são inofensivos para os humanos. Quando se sentem ameaçados, se enrolarem em seu próprio corpo formando um espiral e podem liberar substância mal cheirosa para espantar seus predadores. Se você pisar em um deles sem querer, ouvirá um barulho de casca se quebrando. Apesar de serem aparentemente maiores e mais fortes que as minhocas, eles não as prejudicam nem as ameaçam.

 5- Tatu-bolinha (Oniscidea)

Tatu-bolinha (Oniscidea) na Vermicompostagem

Popularmente por conhecidos por tatus-bola,  tatuzinho, tatuzinhos-de-jardim, tatu-bolinha, etc, os oniscideas ajudam muito na compostagem! São mais de 120 espécies no Brasil.  Apesar de parecer, eles não são insetos, na verdade pertencem ao subfilo Crustacea. Eles estão mais relacionados aos camarões e lagostins que à insetos. Gostam de ambientes úmidos, não prejudicam as minhocas nem os serem humanos contribuem com a compostagem.

6- Fungos

Fungos na Vermicompostagem

Os fungos são super benéficos para a compostagem e não prejudicam as minhocas. Normalmente eles se alimentam de matéria vegetal rica em carbono, como a serragem e matérias secas mais duras. De uma certa forma, eles realizam um processo de pré-digestão para posteriormente outros agentes (basicamente todos que apresentamos anteriormente) se alimentarem desses material. Os fungos mais comuns de aparecerem possuem aparência ramificada, como na foto acima, e similar à algodão-doce, como os fungos que aparecem em morangos mofados.

Fungos algodão-doce na Vermicompostagem

 

Se algum bichinhos desses aparecer no seu minhocário, não precisa se preocupar!

Esperamos que esse post tenha te ajudado. Se você quiser que postemos sobre algum assunto específico, coloque sua sugestão nos comentários.

 

 

Fontes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81caro
http://www.infobibos.com/anais/sibac/5/Palestras/23qui1400sala2%20A.R.%20Oliveira.pdf
https://pt.wikipedia.org/wiki/Besouro
https://pt.wikipedia.org/wiki/Joaninha
https://pt.mastodoc.com/56411-fungus-growing-on-manure
https://www.naturephoto-cz.com/search/?retezec_search=Collembola&hledat.x=0&hledat.y=0
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dipl%C3%B3pode
https://www.infoescola.com/animais/diplopodes/
https://www.ecycle.com.br/component/content/article/67-dia-a-dia/3498-bichinhos-podem-aparecer-composteira-materia-organica-micro-organismos-bacterias-decomposicao-terra-humus-ambiente-minhocas-brancas-acaros-lesmas-besouros-insetos-nematoides-colembolos-diplopodes-oribatideos-enquitreideos.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Oniscidea
https://bugguide.net/node/view/60

Deixe seu comentário
10 respostas
  1. Raffa
    Raffa says:

    Oi! Podem tambem fazer um post sobre os bichinhos do mal? haha tipo, aqueles casulos de ovinhos de drosophilas… esses que a gente tem que tirar! 🙂 obrigada!

    Responder
      • Bruna
        Bruna says:

        Estou com uma infestação de algum bicho que não sei bem identificar. Não acho que sejam drosófilas, porque quando aproximo a mão eles não voam imediatamente. São pequenos e caminham rápido, mas não parecem baratas. Conseguem entrar por entre a serragem… Já encontrei larvas bem miudas na composteira, imagino que sejam desse bicho, só que pesquisei bastante e não encontrei o que pode ser. Uma vez eu abri a tampa e várias voaram pra fora, acredito que esteja realmente infestado.. Minha casa costuma atrair bastante drosófila na cozinha, por ser úmida e meio escura. Tentei fazer compostagem no chão do quintal e também atraiu drosófilas, não sei mais o que fazer. Estou colocando cada vez mais serragem pra ver se isso resolve, mas está difícil. Devo parar com o processo por algumas semanas? Devo deixar os restos de alimentos no congelador, pro caso de já conter ovos de drosófila e outros bichinhos? (normalmente deixo um pote de sorvete dentro da geladeira) socorro 🙁

        Responder
    • Claudio
      Claudio says:

      Eles entrarão em outra postagem… não que eles não contribuam com a compostagem, mas eles comprometem o bem estar do ser humano. Faremos futuramente uma postagem com os bichinhos indesejados.

      Responder
  2. MARIA CRISTINA Sakayan
    MARIA CRISTINA Sakayan says:

    Olá
    Não quero ser repetitiva, mas super valeu o post dos bichinhos do bem, agora p o r favor façam um para os Bic hj vinhos do mal… Obrigada

    Responder
  3. Julia
    Julia says:

    Olá! Acho que minha composteira virou um formigueiro. Sao formigas pretas médias, daquelas que se vê em jardim; não entram na casa nem as vejo ainda nas plantinhas da casa, apenas na composteira fazendo túneis, na superfície as vejo em pequena quantidade, quando remexo a forragem de cima tb. Me preocupo se elas prejudicam as minhocas, ou ambas podem viver bem no mesmo ambiente?

    Responder
    • Claudio
      Claudio says:

      Olá Júlia, sempre que ver formigas no minhocário, recomendamos tirá-las. Em alguns casos elas tentam fazer o formigueiro no minhocário. Nesse caso, é necessário remover o núcleo. Em outros casos elas vão até o minhocário para pegar folhas ou alimentos. Nesse caso, os repelentes naturais são boas opções. Pode ser óleo de citronela ou neem por fora das caixas. Na internet também há receitas caseiras de repelentes naturais para formigas.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *